quinta-feira, novembro 17, 2005

Herzog e o cotidiano


Essa é a minha tentativa de desenhar, quase uma terapia. O personagem foi inspirado no meu urso (hum, não sabia desenhar ursos... há bem pouco tempo só sabia fazer cobras que comiam elefantes, como Exupéry). Na verdade, se o Herzog falasse, ele diria tudo isso. Ele já está velhiho e algumas partes já se foram. Mas o que faz dele o meu bichinho preferido não se vai com o tempo. Mesmo que só reste um olho, ele continuará sendo o Herzog... Há uma essência nele, sabor de infância.

5 comentários:

rafaelcarloscs disse...

ei jana, realmente fiquei até com pena do Herzog!! putz!! perder um Cohatrac IV é foda demais, tadinho!! heheheehe!!
bjos!!

chacarera blues disse...

Ei, tb amo esse herzog sequelado!!!

and disse...

desenho massa!
um dia te peço p/ desenhar algum retrato meu (no sério)!
ah, vc está linkada agora...

o caminho do meio disse...

e vc desenha!!!!!! gostei a valer... e sobre o herzog ter a essência da infância... sei o que é isso. meu snoopy encardido de 1982 está sempre lá dormindo enforcado pelos meus braços na madrugada. cheio de ácaros, sujinho de lágrimas passadas e poeiras diárias... beijos, jana!

bruno disse...

e essa greve tá me lascando, mas não desisto, ehehe
às vezes o instante em que se hesita é o que move a engrenagem para outra conjuntura, ou um beijo roubado, num piscar de olhos