terça-feira, janeiro 03, 2006

passado presente...


curvada sobre a onda
estrela e clara ronda manhã
amanhã, sol do meio dia
forte maresia, tua parte
tempestade

brilhando, passos de mim
borboleta do mar,
sei que ainda estás aqui
voando pela lágrima oceano
mais anos, luz

vaga lume
melhor é ver asas deslizando na maré
baixando o céu
no horizonte, sereia colorida
outras idas, outros mares
de quem não enxerga ares
que a água
é a terra do alto,

eu canto
por mais que exista
cores réplicas no ar
borboleta-bailarina, bate asas no mar
que o mar é tua casa
dia de nadar, voar rasante pela onda
vazante


recebi cobranças de amigos da época da escola. eu teria que colocar no blog o que eu fazia por aqueles tempos (o que nem faz tanto tempo assim...). lembrei de mais uma história do herzog (feita lá pelos idos 2000). nounouse é um personagem (diria que é sonique) e foi tirado de um poema de vinícius de moraes. lembrei desse desenho porque recebi esse poema, ontem, presente da carol! os versos ao lado se configuram uma canção, sem título, também de 2000 (ou seria 2001?). há tempos não escrevo canções...

escuto edu lobo e tom, que roda pela 2º vez. lembro de tudo. sinto saudade furacão, calo. há 2 dias não faço outra coisa que não seja pensar. postar no blog, agora, é apenas uma exceção na rotina. aqui e em mim chove.

3 comentários:

Patrício disse...

Oi, tudo de bom pra vc nesse ano (que coisa brega, né?).

dé disse...

borboleta, bora ver esse lance aí... te quero voando no meus ares.

vini disse...

'a água é a terra do alto'... poxa... é uma belíssima canção(quem é a carol, jana?). e me deixa mais taciturno ainda quando tu jana deixa estas palavras gravadas. gostei tb do herzog/nounouse. beijos rainha.