sexta-feira, agosto 05, 2005

Indecisão

passei três dias escolhendo
o sol, escolhendo meu riso

entre as três borboletas que estão em mim
sou casulo até decidir

e se a estrada tem ramos
faz-se árvore e vivo
passeando em mim sem saber
opto por emudecer. quisera o silêncio - meu estimulante
falo enquanto ouço
silêncio meu em mim

árvore e vento


(publico este poema por algumas razões... eu procurava poemas para o zine e me deparei com esse. eu havia escrito exatamente no dia 28.10.2004, no verso da minha passagem para Recife. estava com os delírios do personagem Ulisses, de james joyce na cabeça. a razão de publicar no blog é, na verdade, sem razão aparente)

4 comentários:

Rodrigo disse...

mas eu nem te vi ontem. por onde andava, guria? zema agradece a vc. grande poetisa, eu tb acho.
linda, vc é linda demais e nem parece indecisa.
beijo

manda e-mail tá
rodrigo.abdallafilho@bol.com.br

Rodrigo disse...

heheheh... eu não entendi isso não. será que é porque sou da área biológica????????? retorno à bárbarie é foda. já associo basquiat com o teto do teu quarto. é uma galeria?????????? hehehehe mas esses anfíbios são foda tb!!!!!!! gosto do que tu coloca aqui no blog. massa, menina
beijo

Pagu disse...

Zeppelin besoura de minha folha mais verde!!!!
(só pra registrar)
Te amo mt.

carol vivi disse...

manuel jana de barros, adorei esse poema, queria perpassar a palvra como você, alê, carolmello fazem, acho que ainda me aproprio muito dela, tento me desvencilhar de um não dito que se diz torto... to meio em crise, não consigo mais.