sábado, dezembro 24, 2005

Besouro zepelin



poderia eu voar?,
meu besouro zepelin
e se o céu fosse tão alto quanto o azul que desponta
no teu nariz
olhando o céu bem alto
e quem não olha o céu (?)

eu via
tua testa franzir enquanto tu olhavas o azul-alto
mas eu não via as nuvens branquinhas
ficava olhando teu olhar sobre o céu
que era azul como teu olho
olhando eu voar
sobre a tua testa franzida

nem percebi que eu poderia voar, besouro zepelin
eu já era tão azul quanto o azul bem azul lá do alto
e nem olhava que voava:

só via teu olho bem colorido de azul olhando o céu
que era bem alto
só para te ver franzindo
a testa


escrevi esse poema há uns bons anos atrás... nem saberia mensurar! está aqui, minha idade de ouro, feito corda que pulava nas tardes com sol no equador!

3 comentários:

rodrigo disse...

menina linda, eu preciso dizer que te amo. tá em são luís?

chacarera blues disse...

Ei, eu tenho olhos azuis! Uma ante-visão talvêz...?

vini disse...

vôos azuis... te amo cada vez mais rainha.