sábado, setembro 24, 2005

Bamba

Música Incidental: Rosa Amarela
Poema meu, incidentalmente do Chacal

e nesses dias de carnaval
faço um cordão
enfeito a avenida

tu que vi
dros

lançados ao chão
faço caco-confete e
faço dança
e dos meus pés sangrando

sambo o carmesin
pinto o asfalto

sou ausência
nem faço falta
fim do jogo

6 comentários:

Rodrigo disse...

ê menina! tu tva linda no sábado :) dançou até os sapatos pedirem pra parar, foi???????
beijo
eu num entendi o poema, mexplica?

Zema Ribeiro disse...

SamBom...

bruno disse...

às vezes existem coisas que fazem falta mesmo desapercebidas ou perdidas na multidão. beijos

Pagu disse...

temos sido sambas desritimados,
nada que nossa luta não dê um tom.
nada que nosso sangue no asfalto não conceba obra-prima carmesim.

lindo poema

alexandra disse...

cadê tu jana?
gosto de carmesim e de vermelho laca também. beijos. queria te ver.

alexandra disse...

li todinho o da sereia/cereal... tu tá lendo cortazar? me passa?! sim?! beijos. o aniversário de duda tá chegando. te vejo então?