terça-feira, março 21, 2006

Qualquer noite

vinha do terceiro andar. três passos eu andava e podia ouvir tudo com mais clareza. era os vermes que estavam ali atacando todos os meus livros. eu poderia gritar e mandar todos para o inferno ou (hell)p-me para o primeiro que aparecesse. era cinza o dia e eu nem sequer descansara. uma noite em que a cabeça pendia sobre o travesseiro procurando o jeito mais cômodo entre o incomodo de estar ali. acordava e dormia cansada. não estava triste, nem alegre, nem deprimida. angústia e mais nada. nada poderia fazer para cessar o vermes que atacavam e invadiam meus livros. eles estavam lá e eu sabia que quando estou com nada prefiro ficar quieta e deixar os vermes invadirem.
qualquer dia desses eu monto o grande manual que será o maior best-seller, mais uma besta que nada diz sobre como evitar pessoas. distraída e desinteressada, principais princípios. foda! odeio evitar pessoas. odeio fazer com que pareçam idiotas. mas a minha anti-socialidade está à flor da pele. e que se danem os pudores!decidi, numa dessas noites ouvindo os vermes, que só vou fazer o que me agrada. vou ver o pôr-do-sol todos os dias e traçar uma tabela de cores, todos os dias. eu sou legal e não mereço nada que não seja legal para mim. ponto (.)

3 comentários:

caramello disse...

to com vários nos meus tb.
bjos piquena, te cuida

andré disse...

catatau é ansiosa demais. ciumenta e manda todo mundo ir a merda quando ta irritada. eta mulher

fabio jardim disse...

coincidência: também sou meio anti-social. só um pedido: não me evite. se bem que, o bom de tudo é que não te dou a oportunidade de me evitar, já que estamos a uma boa distância um do outro. ponto (.) positivo para a gente. rs...